No domingo, o homem escalou um muro de seis metros e entrou na área restrita, onde se encontravam quatro leões do Jardim Zoológico de Chhatbir, no estado de Punjab.

De acordo com o jornal Hindustan Times, o homem foi avistado pelas equipas de patrulha quando estava a escalar o muro, tendo estas advertido o sujeito para não entrar para dentro do jardim zoológico. Este terá ignorado o aviso, aterrando na jaula dos leões.

Segundo Kuldeep Kumar, chefe do departamento de vida selvagem do Punjab, o alerta foi dado seis minutos depois do homem entrar, mas não terá sido a tempo. Ao entrar na jaula, o homem foi imediatamente avistado por dois dos quatro leões - um leão e uma leoa - que se encontram nesta secção do parque, apenas acessível aos visitantes através de viagens de autocarro.

Kumar, um especialista em vida selvagem, explicou ao diário indiano que estes dois estavam fora dos seus abrigos para os turistas poderem vê-los e que, dada a "natureza curiosa das leoas", a espécimen fêmea, chamada "Shilpa", "viu algo cair de uma grande altura no seu território". Reagindo imediatamente, a leoa "viu uma presa e atacou o homem, visando o seu pescoço e arrastando-o" para junto do leão, que se junto no ataque.

Este ataque, que durou 10 minutos, deu-se em frente a vários dos visitantes do jardim zoológico, antes de uma equipa de resposta afastar os animais. A vítima foi levada para um hospital, mas foi declarada morta à chegada. Por enquanto as autoridades não conseguiram entrar em contato com a sua família, já que o homem não possuia documentos de identificação.

A segurança deste jardim zoológico tem sido colocada sob escrutínio, principalmente depois do jornal Times of Índia demonstrar que existem várias falhas ao longo da vedação que permitem que alguém entre dentro das áreas dos animais. As autoridades já aumentaram os avisos de perigo e recomendaram aos visitantes que sempre estejam acompanhados de um guia.

A jaula dos leões do Jardim Zoológico de Chhatbir encontra-se, para já, fechada a termo indefinido.

O leão asiático que atacou o homem é uma espécie em risco de extinção. Já só existem cerca de 500 espécimens na natureza e todos vivem no Parque Nacional de Gir, considerado um santuário de vida animal, localizado no oeste da Índia, no estado de Gujarat.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.