O alerta para o fogo foi dado por volta das 19:00, adiantou à Lusa o Comando Operacional de Operações e Socorro (CDOS) de Bragança, e por volta das 20:30 estavam mobilizados no local 12 viaturas e 38 operacionais das corporações de bombeiros de Mirandela, Macedo de Cavaleiros, Vila Flor e Carrazeda de Ansiães.

O comandante do CDOS, Noel Afonso, explicou à Lusa que estão “a arder dois pavilhões com várias toneladas de plástico prensado”, o que obrigará a um trabalho “prolongado” dos bombeiros devido ao material altamente combustível.

Em setembro de 2013 ocorreu um outro incêndio na mesma empresa, mas noutro pavilhão, que mobilizou durante vários dias os bombeiros para o rescaldo, tendo ficado confinado ao local de origem, que funciona como armazém de material.

No local estão instaladas cerca de uma dezena de empresas, incluindo um matadouro, que empregam perto de uma centena de pessoas.

O antigo Complexo Agroindustrial do Cachão (CAICA) recebeu o nome da aldeia onde está instalado e foi durante largos anos o principal empregador da região, mas acabou por falir.

Em 1993, as Câmaras de Mirandela e Vila Flor assumiram a administração do antigo complexo agora denominado AIN - Agro Industrial do Nordeste.

O complexo nunca regressou aos tempos áureos em que empregou mais de mil pessoas na transformação de produtos agrícolas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.