O fogo em povoamento florestal que deflagrou às 18:14 de quarta-feira, na União de Freguesias de Aldeia do Mato e Souto, “continua descontrolado e com duas frentes ativas”, afirmou, pelas 13:30, a presidente da Câmara de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque.

As chamas alastraram às localidades de Paul, Sentieiras e Alto da Chainça, na União de Freguesias de Abrantes, e à localidade de Pucariça, na freguesia de Rio de Moinhos.

O incêndio, segundo informação da página da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), estava a ser combatido, pelas 14:00, por 567 operacionais, apoiados por 184 viaturas e oito meios aéreos.

De acordo com a autarca, em declarações à agência Lusa, as duas frentes de fogo possuem “uma extensão de cerca de sete quilómetros”.

“Há uma zona extensa atingida, desde a freguesia de Souto até ao limite urbano da cidade” de Abrantes, adiantou Maria do Céu Albuquerque.

A presidente da autarquia do distrito de Santarém acrescentou que, até ao momento, “foram retirados de casa três idosos acamados”, em Carreira do Mato, para o centro social de Souto, e “arderam alguns anexos e casas devolutas”, onde o incêndio “lavra paredes meias com a aldeia”.

“Isso faz com que os nossos recursos sejam todos apostados na defesa das pessoas e das suas casas”, frisou a autarca, acrescentando que está a equacionar-se a evacuação das aldeias de Braçal e Pucariça.

A câmara municipal recomendou aos veraneantes para abandonarem a praia fluvial de Aldeia do Mato, por precaução, e Maria do Céu Albuquerque explicou que “a dificultar o combate ao incêndio está o vento forte, muito calor e humidade nula”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.