O aeródromo de Vila Real encerrou na semana passada à operação de aviões, depois de ter sido detetado um perigo de abatimento na pista.

Em consequência, a ANEPC reposicionou os dois aviões médios anfíbios que estavam ali parqueados, colocando-os em Mirandela, no distrito de Bragança.

O aeródromo permaneceu aberto à operação de helicópteros, mantendo-se ali uma destas aeronaves ligeiras.

Agora, segundo disse hoje à agência Lusa fonte da ANEPC, vai ser também posicionado um helicóptero pesado Kamov em Vila Real, o qual começará a operar no combate aos fogos florestais após a devida autorização.

Na segunda-feira, o presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, disse que estava a ser estudado, em conjunto com o Ministério da Administração Interna, “o reposicionamento de helicópteros em Vila Real” para que a capacidade de ação no combate aos incêndios florestais “não seja diminuída”.

“Bragança recebeu agora dois aviões, é legítimo que Vila Real seja reforçado com helicópteros para minimizar alguma descompensação que possa surgir”, afirmou o autarca.

O helicóptero pesado Kamov deverá ser posicionado nos "próximos dias" na capital do distrito transmontano.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.