Em comunicado, este município do distrito de Castelo Branco explica que as intervenções são promovidas ao abrigo do protocolo de colaboração ao Fundo Ambiental para Financiamento das Intervenções Urgentes e Inadiáveis de Regularização Fluvial, rubricado com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

"O protocolo estabelece financiamento no valor global de 989 mil euros para a execução de obras de engenharia natural nas linhas de água afetadas pelos incêndios", lê-se na nota.

A autarquia adianta que, com as obras em curso nas principais ribeiras onde decorreram os incêndios de 2017, "pretende-se garantir o escoamento nas linhas de água, minimizar a erosão e o arrastamento dos solos, o efeito das cheias e inundações e assegurar as condições necessárias para o uso balnear".

Os trabalhos, maioritariamente desenvolvidos nestas ribeiras, implicam o corte e remoção de material vegetal arbóreo e arbustivo ardido e remoção de sedimentos e outro material nos leitos.

Até ao momento, o município já efetuou intervenções nas linhas de água de Ribeira do Cadaval, Ribeira da Fraga de água d'Alta, Ribeira do Orvalho e Ribeira da Magueija.

Foram ainda desenvolvidos trabalhos de desobstrução de passagens hidráulicas para garantir o escoamento nas linhas de água que atravessam a rede viária existente nas freguesias de Madeirã, Sobral e Álvaro.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.