Por ocasião do Dia Nacional do Doente Coronário, que se assinala na segunda-feira, o INEM lembrou que, perante sinais e sintomas desta doença súbita, se deve ligar o Número Europeu de Emergência — 112 – e transmitir as informações de forma clara, para garantir que os doentes recebem o tratamento mais adequado.

Segundo o INEM, em 73,4% dos 898 casos de enfarte encaminhados em 2021 decorreram menos de duas horas entre o início dos sinais e sintomas e o contacto com o INEM, feito através do 112, enquanto em 20,6% dos casos o processo foi efetuado entre as duas e as 12 horas de evolução da sintomatologia.

Os casos em que decorreram mais de 12 horas de evolução dos sinais e sintomas até à ativação dos serviços de Emergência Médica, e posterior encaminhamento hospitalar, representam 6% face ao total de casos encaminhados pelo INEM em 2021.

Aquele organismo refere também que os distritos onde foram encaminhados mais doentes com enfarte agudo do miocárdio foram Lisboa, Porto e Braga, com 212, 204 e 74 casos registados, respetivamente.

O Centro Hospitalar e Universitário São João (119), o Hospital de Braga (102) e o Centro Hospitalar Lisboa Central (71) foram as unidades hospitalares que receberam o maior número de doentes encaminhados através da Via Verde Coronária.

Os dados indicam ainda que é na população do sexo masculino que se verifica uma maior incidência desta doença súbita, com 82,9% dos casos de enfarte agudo do miocárdio registados.

O INEM sublinha que o “reconhecimento precoce dos sinais e sintomas do enfarte agudo do miocárdio é fundamental e deve motivar uma chamada imediata para o 112”, sendo esta “a via preferencial para o acionamento dos serviços de Emergência Médica, dado que está demonstrado que o contacto com o 112 reduz o intervalo de tempo até ao início da avaliação, diagnóstico, terapêutica e agilização do transporte para a unidade hospitalar mais adequada”.

De acordo com o INEM, dor no peito de início súbito, com ou sem irradiação ao membro superior esquerdo, costas ou mandíbula, suores frios intensos, acompanhados de náuseas e vómitos são alguns dos sinais e sintomas que podem indicar um enfarte, levando a um contacto imediato do Número Europeu de Emergência — 112.

Após a chamada para o 112, os Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM realizam a triagem da situação e encaminham as vítimas de enfarte para os hospitais mais adequados, através da Via Verde Coronária, permitindo um tratamento mais rápido e eficaz nas unidades de cuidados intensivos coronários ou salas de hemodinâmica.

O INEM realça igualmente que o encaminhamento dos doentes através desta Via Verde é feito com base em critérios clínicos e eletrocardiográficos específicos, visando o rápido tratamento de determinados tipos de enfarte em que há necessidade da realização de angioplastia primária (cateterismo cardíaco para desobstrução das artérias coronárias, realizado nas salas de hemodinâmica).

O INEM dá ainda conta que existem alguns procedimentos simples a adotar em caso de suspeita de um enfarte, que podem estabilizar a evolução da situação até à chegada das equipas de emergência, como manter uma atitude calma, sentar o doente e evitar que este faça qualquer tipo de esforço físico, tais como levantar-se, caminhar ou até falar.

O enfarte agudo do miocárdio é uma das principais causas de morte em Portugal, ocorrendo quando se dá uma interrupção prolongada da perfusão sanguínea do coração, resultante da obstrução de uma artéria coronária, total ou quase total.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.