“Foi prontamente ativado [o plano] e cumpridos os procedimentos estabelecidos no plano de emergência”, referiu, em comunicado.

No domingo à noite, um autocarro com 20 passageiros, da empresa Rodonorte, incendiou-se dentro do Túnel do Marão, ao quilómetro 74 da autoestrada do Marão, entre Amarante e Vila Real, obrigando ao corte do trânsito em ambos os sentidos.

Já esta manhã, às 06:30, foi reaberta a circulação automóvel no sentido Vila Real-Amarante, continuando encerrada “por alguns dias” no sentido Amarante-Vila Real.

O incidente não causou vítimas, tendo quatro jovens sido transportados ao Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro apenas por precaução devido à inalação de fumo.

A IP referiu que o incêndio foi causado por uma avaria mecânica, não tendo a utilização dos extintores por parte do motorista sido eficaz.

Neste momento, estão a ser desenvolvidos todos os esforços para “com a maior brevidade possível” restabelecer o trânsito no sentido Amarante-Vila Real, referiu a empresa, reforçando que só quando estiverem garantidas “todas” as condições de segurança é que a galeria será reaberta.

“Estão a ser avaliados os danos existentes na superstrutura, em conjunto com o projetista e a empresa construtora do túnel. Numa primeira análise os danos são superficiais, mas obrigam, no entanto, à execução da reparação das superfícies de betão”, explicou.

A empresa revelou que existem “danos consideráveis” no pavimento numa extensão de 100 metros, estando já em curso os trabalhos de pavimentação.

Foram ainda identificados “danos relevantes” nos equipamentos, sistemas de segurança, iluminação e comunicações que obrigam a intervenções “mais demoradas” de reparação, aprovisionamento e substituição de componentes, salientou a IP.

Na terça-feira, irá fazer-se a limpeza do túnel e dos equipamentos existentes ao longo de uma extensão de cerca de quatro quilómetros, operação que se prevê demorada, acrescentou.

Depois destas intervenções, que a IP antecipa serem de alguns dias, serão realizadas as vistorias pelo Instituto de Mobilidade e Transportes (IMT) e pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC).

O presidente da Câmara de Vila Real, o socialista Rui Santos, pediu hoje a abertura de um inquérito “exaustivo” para se apurar o que correu bem e o que correu mal para serem evitados situações futuras, apontando várias falhas à segurança.

Também o PSD, através do deputado Luís Ramos, eleito pelo círculo de Vila Real, anunciou que vai chamar ao Parlamento o secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme Martins, e o presidente da IP, António Laranjo, para prestarem esclarecimentos sobre o caso.

Já a Rodonorte, empresa proprietária do autocarro, anunciou no domingo que vai abrir um inquérito para apurar as causas do incêndio.

O Túnel do Marão, que liga Amarante, no distrito do Porto, a Vila Real, abriu em maio do ano passado e tem duas galerias gémeas, cada uma com duas faixas de rodagem e com um comprimento de 5.665 metros.

O incêndio com o autocarro de passageiros foi o primeiro acidente do género, em dimensão, ocorrido num túnel em Portugal.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.