“O Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores informa que, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, uma zona de instabilidade, resultante da interação entre os ciclones tropicais Helene, que continua a afastar-se do arquipélago, e Joyce, que passará a mais de 250 quilómetros a sul dos Açores, deve condicionar o estado do tempo no grupo Oriental, prevendo-se a ocorrência de precipitação forte”, refere um comunicado distribuído esta tarde.

As duas ilhas deste grupo – São Miguel e Santa Maria – estão, por isso, sob dois avisos amarelos devido a precipitação e trovoada, até às 21:00 locais (22:00 em Lisboa).

O aviso amarelo, o terceiro menos grave de uma escala de quatro, condiciona determinadas atividades em função das condições meteorológicas.

A Proteção Civil regional recomenda medidas de autoproteção, como cuidados na circulação e a manutenção dos sistemas de drenagem.

Foram registadas 10 ocorrências, na noite de sábado e na madrugada de hoje, devido à passagem da tempestade tropical Helene, mas “sem danos humanos, nem materiais”.

“A maioria das situações ocorreu na ilha das Flores, mas sem provocar danos humanos, nem materiais, estando relacionadas com quedas de árvores e uma pequena derrocada”, adiantou, em comunicado.

Segundo o presidente da Proteção Civil dos Açores, Carlos Neves, “foram pequenas situações que, em alguns casos, obstruíram estradas, mas que foram prontamente resolvidas”.

A passagem da tempestade tropical Helene deixou todas as ilhas do arquipélago sob avisos amarelo, laranja ou - nos casos das Flores e do Corvo - vermelho (o mais grave), devido às previsões de precipitação forte, vento e agitação marítima.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.