“Foi decidido elevar o nível dos laços entre os dois países para relações diplomáticas plenas e devolver os embaixadores e cônsules-gerais aos dois países”, disse Yair Lapid, num comunicado citado pela agência francesa AFP.

“O restabelecimento das relações com a Turquia é uma vantagem importante para a estabilidade regional e uma notícia económica muito importante para os cidadãos de Israel”, disse Lapid.

Em Ancara, o chefe da diplomacia turca, Mevlut Cavusoglu, afirmou que a Turquia não abandonará a causa dos palestinianos, apesar do pleno reatamento das relações diplomáticas com Israel.

“Não abandonaremos a causa palestiniana”, disse Cavusoglu numa conferência de imprensa, na sequência do anúncio de Israel do restabelecimento pleno das relações diplomáticas entre os dois países.

Israel e a Turquia fizeram regressar os seus embaixadores nos dois países em 2018, após a morte de manifestantes palestinianos em Gaza, durante um protesto contra a abertura da embaixada norte-americana em Jerusalém.

Os dois países têm trocado acusações frequentes sobre a ocupação de territórios palestinianos por Israel e o tratamento dado aos palestinianos, bem como o apoio turco ao Hamas, que governa a Faixa de Gaza, sob bloqueio israelita.

Em 2010, as relações bilaterais também foram afetadas com o ataque das forças israelitas a um navio turco que tentava entregar ajuda à Faixa de Gaza.

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, um forte apoiante da causa palestiniana, tem criticado frequentemente as políticas israelitas em relação aos palestinianos.

No âmbito da melhoria das relações, o Presidente de Israel, Isacc Herzog, visitou a Turquia em março, o que não acontecia desde 2007.

No final de maio, Cavusoglu fez uma rara visita a Jerusalém.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.