Os tanques do exército chegaram a um posto militar controlado pelo Hamas, que de facto controla a Faixa de Gaza e são responsáveis por todas as ações realizadas no enclave, segundo um comunicado militar israelita.

Há dois anos, jovens palestinianos lançam balões contendo material incendiário e explosivo de Gaza para Israel, situação que se intensificou nas últimas duas semanas.

Segundo analistas e fontes palestinianas, o Hamas permite essas ações como pressão para que Israel amenize as condições do bloqueio imposto a Gaza desde 2007.

Além disso, na quarta-feira, militantes palestinianos dispararam um foguete, o terceiro desde que o aumento da tensão começou, há mais de uma semana.

Israel respondeu com bombardeamentos e outras medidas punitivas, como o encerramento da única passagem comercial com Gaza, o encerramento de sua zona de pesca e a proibição da importação de combustível, o que causou o fechamento de sua única central elétrica.

Uma delegação dos serviços de informação egípcia visitou Gaza para se encontrar com o Hamas e mediar a situação entre os dois países e tentar reduzir a tensão que aumentou neste mês após uma relativa calma desde o início da pandemia do novo coronavírus.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.