A posição foi expressa por Lobo d’Àvila no início do discurso com que apresentou a sua moção ao 28.º congresso nacional, que hoje começou em Aveiro, em que se referiu a Cristas, de quem foi crítico durante os últimos anos.

Teve uma “divergência política, pública e frontal”, recordou, mas o candidato recusa ser “daqueles que descartam” de outros “quando dá jeito”

“Não esquecemos o teu sucesso em Lisboa e que se quiseres voltará a renovar o teu compromisso”, afirmou.

Nas autárquicas de 2017 em Lisboa, o CDS ficou à frente do PSD e Assunção Cristas vai manter-se como vereadora, mesmo depois de deixar a liderança do partido.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.