“Queremos que Israel pare e pense seriamente antes de tomar novas medidas”, disse aos jornalistas o ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, David Cameron.

“Estamos muito preocupados com o que está a acontecer em Rafah, porque, sejamos claros, as pessoas que lá estão mudaram-se muitas vezes: quatro, cinco ou seis vezes antes de lá chegarem (…), não têm para onde ir”, disse ainda o chefe da diplomacia britânico.

No domingo, o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, ordenou ao Exército que preparasse uma ofensiva contra Rafah, onde chegaram nas últimas semanas mais de 1,3 milhões de civis palestinianos.

Segundo o Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo grupo islamita palestiniano Hamas, vários ataques aéreos israelitas causaram hoje “cerca de 100 mortos” em Rafah.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.