Com 50 passageiros a bordo, o avião da companhia australiana Qantas completou há poucas horas o teste para aquele que será o maior voo comercial direto, ou seja sem escalas, ligando Londres, em Inglaterra, a Sidney, na Austrália.

Descolou do aeroporto de aeroporto de Heathrow às 6h09 de quinta-feira e chegou a Sidney às 12h28 locais (01h28 em Lisboa).

No total, percorreu 17.800 quilómetros e quem ia a bordo pode ver o sol nascer duas vezes. De acordo com a CNN, os tripulantes chegaram três horas mais cedo ao destino do que se tivessem feito escala e mudado de aeronave.

Não foram vendidos bilhetes para este voo. Os 50 passageiros são clientes habituais da Qantas e fizeram parte do teste, tendo sido monitorizados ao nível dos padrões de sono, alimentação e movimentos. Os dados recolhidos serão analisados por uma unidade de investigação médica da Universidade de Sydney que irá avaliar o impacto de voos de longo curso diretos na saúde e bem-estar dos passageiros.

Citado pela CNBC, Alan Joyce, diretor executivo da companhia aérea, disse ter visto "um nascer do sol duplo”.

O voo só será oficialmente lançado em 2023, até lá a companhia terá de ter o aval do regulador australiano e chegar a acordo com os seus pilotos e tripulação sobre os termos do contrato.

Este foi considerado um voo teste. As atividades cerebrais, assim como os níveis de melatonina, dos pilotos foram rastreadas e foi feito um registo biométricos da tripulação para analisar os padrões de sono, atividade física e até mesmo o consumo de entretenimento a bordo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.