Trata-se de uma decisão "voluntária e como medida de precaução": a casa responsável pelos produtos de chocolate da marca Kinder, normalmente dirigidos a crianças, decidiu retirar "do mercado português alguns lotes [...], fabricados na Bélgica, depois de alguns casos de salmonela terem sido registados no Norte da Europa". Em causa estão os “Kinder Schokobons (todos os formatos), Kinder Supresa Maxi T100grs e os Kinder Happy Moments”, refere a empresa em comunicado.

O fabricante alerta que serão recolhidos apenas os referidos produtos com data e validade entre 26 de maio de 2022 e 21 de agosto de 2022.

"Os restantes ovos Kinder Surpresa de qualquer formato, o ovo de Páscoa Kinder Gran Surpresa e todas as restantes marcas Kinder não estão afetados", sublinha a mesma fonte.

A decisão "é voluntária e afeta apenas alguns lotes específicos, como medida de máxima precaução, apesar de não terem sido detetadas, de momento, presenças de salmonela nas análises efetuadas em qualquer produto Kinder", acrescenta.

"Se tiver algum dos produtos afetados, aconselhamos que não o consuma e contacte o serviço de atenção ao consumidor www.ferrero.pt (tel. 30880507536). Tenha à mão a embalagem que indica o lote de produção para poder ser informado adequadamente sobre o assunto", diz ainda a Ferrero.

Esta terça-feira, a Direção-Geral da Saúde dizia ao SAPO24 que "não há, até à data, casos reportados de doença gastrointestinal em Portugal que possam ser eventualmente associados ao surto europeu".

Segundo a autoridade de saúde, "no dia 2 de abril foi identificado um produto alimentar associado a um surto de salmonela em vários países europeus, tendo sido emitido um alerta no âmbito da Rede Internacional de Autoridades de Segurança Alimentar".

Dois dias depois, a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) informou a Direção-Geral da Saúde (DGS) "de que Portugal estará fora da rastreabilidade deste produto". Isto é, "não terá sido distribuído diretamente para o mercado nacional".

"Tanto quanto a rastreabilidade dos operadores neste momento nos permite afirmar, os lotes de produto contaminados não vieram para Portugal", acrescenta a diretora-geral de Alimentação e Veterinária, Susana Guedes Pombo, à Lusa.

A responsável acrescentou que Portugal, através da DGAV, enquanto ponto de contacto nacional da Rede de Alerta Rápido de Alimentos e Alimentos para Animais (RASFF), "tem estado a acompanhar atentamente este assunto, com envolvimento de todas as autoridades nacionais e europeias, incluindo a Direção-Geral de Saúde".

Vários produtos de chocolate da marca Kinder fabricados na Bélgica foram retirados do mercado francês por suspeitas de que possam ter sido o motivo de 21 casos de salmonela identificados no país, oito dos quais exigiram internamento.

A Direção-Geral da Saúde de França explicou em comunicado que as suas investigações revelaram que os 15 doentes que foram interrogados até agora relataram ter consumido nos dias anteriores à manifestação dos sintomas de intoxicação aqueles produtos da marca Ferrero.

Todos estes chocolates foram feitos na mesma fábrica da Ferrero, na cidade belga de Arlon.

Os casos de salmonela localizados em França e potencialmente ligados ao consumo deste chocolate - reportados em crianças com uma idade média de quatro anos - têm a mesma estirpe responsável por surtos no Reino Unido e na Irlanda, também associados a determinados produtos Kinder, salientou a autoridade de saúde francesa.

A Ferrero começou a sua história na pequena cidade de Alba, no Piemonte, Itália, em 1946, tem atualmente uma faturação consolidada superior a 12,3 mil milhões de euros e encontra-se entre os líderes de mercado em alimentos embalados doces em todo o mundo, com 37 mil pessoas e 31 unidades de produção.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.