A polícia italiana comemorou a detenção de "um dos cem criminosos mais perigosos da Itália", Roberto Manganiello, de 35 anos, chefe de um dos grupos afiliados da Camorra. Manganiello foi acusado em outubro de 2004 do homicídio de dois homens, membros de um grupo inimigo. O crime provocou um dos casos de vingança mais cruéis já cometidos entre famílias mafiosas no bairro napolitano de Scampia, conhecido por aparecer no livro de Roberto Saviano "Gomorra".

Manganiello também é acusado de porte ilegal de armas, assim como de associação com grupos de carácter mafioso, informou a polícia. O mafioso foi detido junto com uma jovem napolitana de 30 anos, que o acompanhava num dos esconderijos do grupo, em Orta di Atella. Era a partir daí que Manganiello continuava a controlar as suas atividades de tráfico de drogas e extorsão.

Enquanto assistia com a jovem à partida entre o Nápoles e o Inter de Milão, os polícias, disfarçados de entregadores de pizza, entraram no apartamento. Manganiello, que não estava armado, não resistiu à prisão. O ministro do Interior, Angelino Alfano, saudou em comunicado este "êxito, graças a um trabalho de investigação de alto nível". 

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.