De acordo com dados hoje divulgados pelo Eurostat, esta percentagem tem, ainda assim, vindo a melhorar desde 2009, ano no qual 63,3% dos portugueses afirmava não conseguir pagar uma semana de férias fora de casa.

Mais recentemente, em 2016, esta percentagem fixou-se em 47,2% e no ano seguinte, em 2017, em 44,3%.

A percentagem registada em 2018 colocou o país em oitavo lugar dos Estados-membros da UE com menos capacidade para suportar este tipo de encargos, numa lista liderada pela Roménia (58,9%), Croácia (51,3%), Grécia (51%), Chipre (51% também) e Itália (43,7%).

Em sentido inverso, as percentagens mais baixas registaram-se na Suécia (9,7%), Luxemburgo (10,9%), Dinamarca (12,2%), Áustria (12,4%) e Finlândia (13,3%).

Em toda a UE, em 2018, uma média de 28,3% dos europeus indicava não conseguir pagar uma semana de férias fora de casa por ano, percentagem que compara com a de 39,5% registada em 2013.

Os dados hoje divulgados pelo Eurostat têm por base inquéritos realizados a cidadãos da UE com 16 ou mais anos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.