“Perante o que ouvi até agora, a palavra a dar é de tranquilidade e serenidade. Não há razoes para entrar na situação de alarmismo não justificado até ao presente”, disse Marcelo Rebelo de Sousa, na ilha de São Jorge, onde se deslocou hoje para se inteirar do ponto de situação da crise sísmica que se iniciou em 19 de março.

Acompanhado pelo presidente do Governo Regional dos Açores, o chefe de Estado visitou estações de acompanhamento da crise e assistiu a um briefing do Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA).

Na ocasião, o Presidente salientou que o fenómeno “tem sido bem explicado”, adiantando que a frequência dos sismos continua, mas "os sentidos têm sido menos".

“A reação mais óbvia e natural é as pessoas manterem a serenidade e a tranquilidade, acreditarem nos especialistas que sabem mesmo da matéria e estão a acompanhar” a crise, salientou Marcelo Rebelo de Sousa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.