Numa nota, a Marinha adiantou ter comunicado na segunda-feira o desaparecimento do material à Polícia Judiciária Militar e aberto um “processo de averiguações para apurar o sucedido”.

“O Comandante do navio [capitão-de-fragata Costa Cabral] ordenou, de imediato, as necessárias averiguações, envolvendo toda a guarnição de 70 militares”, acrescentou a Marinha.

Segundo o comunicado, o navio reabastecedor “cumpriu na íntegra o plano de treino previsto” e regressou esta madrugada à Base Naval de Lisboa.

Contactado pela Lusa, o porta-voz da Marinha, comandante Pereira da Fonseca a falta das 14 dispersores de agulhetas de incêndio foi detetada segunda-feira durante os preparativos para uma saída de treino, que se iniciou terça e terminou hoje de madrugada.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.