Última atualização às 23h15


Segundo disse à Lusa o comandante da ANEPC Pedro Araújo, as previsões indicam que a precipitação mais forte ocorra, nas próximas horas, mais a sul, nos distritos de Beja e Faro, mas sem a mesma intensidade da verificada durante o dia em Lisboa, Setúbal e Leiria.

Pedro Araújo adiantou que o balanço de 12 horas - entre as 08:00 e as 20:00 - indica que no distrito de Lisboa registaram-se 399 ocorrências, seguindo-se os distritos de Leiria (76) e Setúbal (67).

“Não temos conhecimento de nenhuma vítima associada às condições meteorológicas adversas”, referiu o responsável da ANEPC, ao avançar que a grande maioria das situações verificadas foram de danos em edifícios e veículos, assim como inundações.

Outra das ocorrências registadas durante a tarde resultou de uma barreira que soterrou um posto de transformação da EDP na Nazaré, provocando um corte de energia, que ainda não foi reposta, adiantou.

Cascais regista pluviosidade superior às grandes cheias de 1983

O concelho de Cascais, distrito de Lisboa, registou hoje maior pluviosidade do que nas grandes cheias de 1983, avançou o presidente da Câmara Municipal, Carlos Carreiras, alertando para a situação de maior risco durante esta noite.

“Tivemos hoje um período mais intenso entre as 11:30 e as 13:00 de muita chuva, para se ter uma ideia choveu bastante mais do que tinha chovido nas grandes cheias de Cascais em 1983 e isso provou algumas situações, não da gravidade de 1983, mas ainda assim algumas situações pontuais”, disse o presidente da Câmara, sem dispor do número total de ocorrências registadas devido ao mau tempo.

Numa peça do jornal da noite da RTP, foi também possível ver a água barrenta dentro de alguns estabelecimentos no centro da vila. De acordo com o Expresso, vários bares e restaurantes no centro de Cascais, no Largo de Camões, estiveram inundados. O mesmo aconteceu noutras zonas mais baixas da vila. Uma utilizadora filmou o caudal na Ribeira das Vinhas, principal responsável pelas cheias de 1983.

Cheias cascais
créditos: @ Câmara Municipal de Cascais

Entre as principais ocorrências, a inundação de uma casa na freguesia de Carcavelos levou à retirada de cinco pessoas, que precisaram de ser realojadas, tendo o município disponibilizado alojamento, mas não foi necessário porque optaram por ficar em casa de familiares.

Outra das ocorrências foi também uma inundação no Pavilhão de Alcabideche onde está a decorrer a vacinação contra a covid-19, “nomeadamente a zona mais sensível e mais estratégica que é onde está o frigorifico com as vacinas”, mas a situação ficou prontamente resolvida e “acabou por não criar preocupação de maior”, afirmou Carlos Carreiras.

Neste momento, a situação devido ao mau tempo está controlada, mas a Câmara de Cascais mantém-se a monitorizar o impacto do mau tempo, reforçando que o cenário pode “complicar-se um pouco mais” durante esta noite.

Marginal de Oeiras esteve cortada, mas já reabriu

A marginal de Oeiras já reabriu à circulação após ter estado hoje cortada ao trânsito durante quase duas horas no sentido Cascais - Lisboa devido à queda de chuva intensa, avançou a Câmara.

“Depois de ter estado encerrada entre a zona do Inatel de Oeiras e Paço de Arcos, no sentido Cascais-Lisboa, a circulação automóvel já está normalizada”, informou pelas 16:50 a Câmara Municipal de Oeiras, distrito de Lisboa, numa mensagem publicada na rede social Facebook.

Além do ponto de situação sobre a circulação na marginal, a Câmara de Oeiras reforçou que “está atenta e a dar resposta às ocorrências devido ao mau tempo”.

Pelas 14:45, o município alertou que a marginal de Oeiras foi cortada ao trânsito no sentido Cascais - Lisboa devido à queda de chuva intensa, garantindo que estava a tomar todas as diligências para restabelecer a normalidade de circulação.

Restabelecida circulação de comboios na Linha de Cascais nos dois sentidos

A circulação de comboios na Linha de Cascais foi restabelecida nos dois sentidos pelas 21:40 de hoje, após ter estado interrompida durante cerca de nove horas devido à queda de uma árvore, avançou fonte da Infraestruturas de Portugal (IP).

A circulação encontrava-se suspensa desde as 12:45 entre São Pedro do Estoril e Cascais, em consequência da "queda de uma árvore de grandes dimensões", segundo a IP, referindo que os comboios continuaram a circular entre o Cais do Sodré (Lisboa) e São Pedro do Estoril (Cascais).

No âmbito do restabelecimento da circulação na Linha de Cascais, os comboios começaram, a partir das 21:40, a operar “em ambos os sentidos através de uma única via, entre São Pedro e Cascais”, disse à Lusa a mesma fonte.

"Face à dimensão da árvore e também dos danos que causou na catenária”, a interrupção deste troço da Linha de Cascais durou cerca de nove horas, em que os trabalhos de retirada da árvore sobre a via férrea contaram com a intervenção de equipas da IP, proteção civil e bombeiros.

Estradas na serra da Estrela cortadas devido à queda de neve

Algumas das estradas de acesso ao maciço central da serra da Estrela foram hoje encerradas devido à queda de neve, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Castelo Branco.

Segundo a mesma fonte, o trânsito está proibido nos troços 11, que liga Piornos até ao cruzamento da Torre, 12, deste cruzamento até à Torre, e no troço 13, da Lagoa Comprida até ao cruzamento da Torre.

Aviso laranja

O Instituto Português do Mar e Atmosfera (IPMA) colocou hoje sob aviso laranja 13 dos 18 distritos, incluindo toda a costa do país, e a amarelo cinco distritos do interior devido ao mau tempo.

De acordo com o ‘site’ do instituto, os distritos do litoral, incluindo todo o Algarve, estão sob aviso laranja.

Os avisos laranja devem-se sobretudo à precipitação, embora nos distritos mais a norte, Porto, Braga e Viana do Castelo, se devam também ao vento e à agitação marítima.

Já os distritos de Évora, Portalegre, Castelo Branco, Guarda e Bragança estão sob aviso amarelo, assim como os arquipélagos da Madeira e dos Açores.

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) tem sob alerta amarelo todos os 18 distritos.

A situação de alerta amarelo vai manter-se depois até às 13:00 de domingo.

O aviso laranja indica situação meteorológica de risco moderado a elevado e o amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.