"Petya (Piotr) recuperou a consciência", mas continua a ter alucinações e delírios, declarou nesta passada sexta-feira à noite Veronika Nikulshina, também integrante deste grupo russo contestatário, ao site Meduza.

Piotr Verzilov, de 30 anos, foi internado na terça-feira, dia 11 de setembro, após uma visita judicial. Dois dias depois foi transferido para a parte de tratamentos intensivos de um famoso hospital do centro de Moscovo, o Instituto Sklifossovsky.

Na sexta-feira, este centro qualificou o seu estado como "grave".

Anteriormente, Nikulshina assegurou ao Meduza que Piotr Verzilov havia sido envenenado. "É realmente um envenenamento com algo parecido com a atropina. Mas, neste caso, trata-se de uma dose alta", declarou.

Por enquanto, nenhuma fonte oficial explicou o seu estado.

De acordo com Nikulshina, Piotr Verzilov começou a sentir-se mal na terça-feira à tarde. "Durante a tarde começou a passar mal. Perdeu a visão, sua vista ficou escura", declarou na quinta-feira.

No Canadá, o primeiro-ministro Justin Trudeau manifestou a sua preocupação pelas informações sobre Piotr Verzilov, que também tem nacionalidade canadiana.

Veronika Nikoulshina e Piotr Verzilov fazem parte dos quatro membros do coletivo Pussy Riot que invadiram o campo vestidos com uniformes da polícia, durante a final do Mundial de Futebol entre as seleções da França e da Croácia. Foram condenados a 15 dias de prisão.

O coletivo disse que estava a protestar contra os abusos cometidos pelas forças policiais na Rússia.

Piotr Verzilov é o fundador do site Mediazona, que informa sobre os julgamentos de defensores dos direitos humanos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.