Num discurso em que recordou a violência policial e o racismo, mas também a pandemia de covid-19, Michelle Obama apelou à mudança face à “total falta de empatia” do Presidente republicano, Donald Trump.

“Mais de 150 mil pessoas morreram e a nossa economia está num caos por causa de um vírus que este Presidente desvalorizou durante demasiado tempo”, acusou.

“Se pensam que as coisas não podem piorar, confiem em mim, podem, e irão [piorar], se não fizermos uma mudança nesta eleição. Se temos alguma esperança de acabar com este caos, temos de votar em Joe Biden como se as nossas vidas dependessem disso”, instou.

Michelle Obama denunciou ainda a “total falta de empatia” de Donald Trump, na primeira noite da convenção, afirmando que é “o Presidente errado” para os Estados Unidos e apelando à eleição de Joe Biden a 3 de novembro.

“Ele simplesmente não pode ser quem precisamos que ele seja para nós. É o que é”, disse.

A antiga primeira-dama criticou também a gestão de Trump dos protestos originados pela morte de George Floyd às mãos da Polícia, em maio.

Recordando os nomes de Floyd e “das pessoas inocentes de cor que continuam a ser assassinadas”, Michelle Obama apontou que “o simples facto [de afirmar] que ‘as vidas dos negros contam’ merece uma reação de derisão do mais alto representante da nação”.

“Cada vez que olhamos para a Casa Branca em busca de liderança, ou conforto, ou alguma aparência de estabilidade, o que obtemos em vez disso é caos, divisão e uma completa e total falta de empatia”, acusou a ex-primeira dama dos Estados Unidos, num discurso que encerrou a primeira noite da convenção, que se realiza de forma virtual, por causa da pandemia.

Michelle Obama foi, juntamente com o senador Bernie Sanders, a estrela do dia no arranque da Convenção Democrata, na segunda-feira (madrugada de hoje em Portugal).

A convenção democrata, que arrancou na segunda-feira na cidade de Milwaukee, no estado do Wisconsin, decorre até quinta-feira, altura em que o antigo vice-Presidente Joe Biden deverá fazer o discurso de aceitação da candidatura democrata.

No encontro falarão também o ex-Presidente Barack Obama (2009-2017), a ex-secretária de Estado Hillary Clinton e a jovem congressista democrata Alexandria Ocasio-Cortez.

As maiores figuras do Partido Democrata não vão viajar para Milwaukee. Apenas os delegados democratas naquela cidade discursarão no local.

Os outros discursos, incluindo os de Barack Obama, Hillary e Bill Clinton, bem como dos candidatos Kamala Harris e Joe Biden, serão transmitidos ‘online’.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.