“Na mina Listviázhnaya foi encontrado um sobrevivente. Foi levado para o hospital”, disse o governador da região, Serguei Tsiviliov, através da rede social Telegram.

O ministro para as Situações de Emergência da Rússia, Alexandr Chupriyan, acrescentou que o sobrevivente do acidente de quinta-feira é um mineiro.

“As nossas unidades estão a operar na mina. São três unidades, 17 pessoas”, disse Chupriyan ao canal de televisão Rossiya 24.

Durante as próximas 72 horas os socorristas vão continuar a trabalhar para atenuar as consequências do incêndio que deflagrou na mina para que sejam evitados reacendimentos.

De acordo com o departamento regional do Ministério para as Situações de Emergência, no momento do acidente encontravam-se na exploração mineira um total de 285 trabalhadores, dos quais 236 foram retirados de imediato.

A administração da mina informou que o incêndio, a 250 metros de profundidade foi causado por uma explosão do sistema de ventilação.

A mina começou a laborar em 1956 e tinha como nome “Gramoteinskaya 1-2” tendo sido reconstruída e modernizada após o fim da União Soviética.

Mesmo assim, em 2004, uma explosão na mesma mina provocou a morte a 13 mineiros.

O acidente desta semana é o mais grave em toda a região da Sibéria Oriental depois da tragédia que ocorreu na mina “Raspadskaya”, em 2010, em que morreram 91 trabalhadores.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.