"Já estive a falar com o senhor presidente da Câmara de Mogadouro e na segunda-feira, pela manhã, estarei no concelho, para ajudar a avaliar os estragos causados pela trovada", disse à Lusa Carla Alves, Diretora regional de Agricultura e Pescas do Norte.

A partir de domingo, acrescentou, os técnicos da Direção Regional de Agricultura e Pecas do Norte (DRAPN) estarão no terreno para uma primeira avaliação dos prejuízos causados pela trovoada, que se fez acompanhar de chuva e granizo intensos, e ao mesmo tempo decidir as intervenções a fazer.

No entanto, o Ministério da Agricultura também já reagiu aos estragos causados pelo mau tempo.

“Os serviços do Ministério da Agricultura encontram-se no terreno a fazer a avaliação dos estragos causados pela queda de chuva e de granizo que hoje atingiu diversos pontos do concelho de Mogadouro, no distrito de Bragança”, indica o ministério liderado por Luís Capoulas Santos, em comunicado enviado à Lusa.

A tutela acrescenta que os seus serviços “estão focados na identificação de prejuízos materiais relacionados com situações que possam dar origem à necessidade de restabelecimento do potencial produtivo (infraestruturas de apoio à atividade agrícola e equipamentos)”.

Relativamente às culturas, o ministério da Agricultura indica que a queda de chuvas intensas e de granizo constitui um risco coberto pelo sistema de seguros agrícolas de colheitas, que “está disponível para todos os agricultores” e que é subsidiado em 60% pelo ministério.

O ministério da Agricultura indica ainda que já foi emitida uma carta circular destinada aos fruticultores e aos viticultores, indicando “o tipo de intervenção que devem fazer nas culturas, bem como os tratamentos a aplicar, a fim de minimizar os efeitos de eventuais problemas que possam afetar as árvores de fruto e as vinhas na sequência da queda de chuva e granizo”.

O presidente da Câmara de Mogadouro, no distrito de Bragança, disse hoje à Lusa que são "muito avultados" os prejuízos no concelho, provocados por trovoada, chuva e granizo, durante a tarde.

"Tenho conhecimento de que há prejuízos muito avultados provocados pelo granizo, não só na vila de Mogadouro, mas em grande parte do concelho. Ainda não é possível contabilizar os estragos já que a informação, só agora, começa a chegar", disse à Lusa, Francisco Guimarães.

O Instituto Português do Mar e Atmosfera (IPMA) emitiu hoje um aviso laranja até às 20:00 para Bragança, devido à precipitação e possibilidade de ocorrência de trovoadas, uma instabilidade climática considerada “normal” pelos meteorologistas, com melhorias a partir de domingo.

A instabilidade prevista para as regiões do Norte e centro levou inicialmente o IPMA a emitir um aviso amarelo, que se transformou mais tarde em laranja devido às chuvas fortes, verificando-se ainda trovoadas com queda de granizo e de saraiva (acima de cinco milímetros de diâmetro). Autarcas locais relataram danos avultados no concelho de Mogadouro, sobretudo para a agricultura.

Um fenómeno que não era totalmente inesperado e está a ser provocado por uma depressão que se encontra sobre Portugal Continental.

“Não é uma situação que esteja desenquadrada desta época, embora não se possa dizer que aconteça muitas vezes. É normal na Primavera e início de Verão”, adiantou à Lusa o meteorologista do IPMA Bruno Café.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.