“Sabemos dos pedidos dos certificados para trabalhar no estrangeiro, mas o que não sabemos é quantos desses pedidos são transformados numa efetiva ida para o estrangeiro”, disse aos jornalistas a ministra, quando questionada sobre o número de 4.506 pedidos de certificado de equivalência à Ordem dos Enfermeiros para exercer no estrangeiro durante 2019.

Ao falar aos jornalistas à margem da visita ao Centro de Saúde de Albufeira, no distrito de Faro, Marta Temido asseverou que o Governo desconhece o número, “quer de enfermeiros quer de médicos que vão efetivamente trabalhar para fora do país”.

“É uma informação que gostávamos muito de conhecer e acho que vale a pena suscitarmos, quer da profissão de enfermagem quer de outras profissões da saúde que estão reguladas e que têm o seu contingente regido por essas ordens profissionais”, observou.

A ministra da Saúde indicou que, quanto ao Serviço Nacional de Saúde, “é sabido que, na anterior legislatura, houve uma admissão significativa de recursos humanos, entre os quais de enfermeiros e que há um quadro de referência para novas contratações”.

“Vamos continuar a fazer contratações de profissionais de saúde nos sítios em que elas se justifiquem, para dar respostas a novos serviços, constituir equipas mais robustas, enfim, para dar respostas às necessidades” do setor, referiu.

Sobre o novo coronavírus detetado na China, Marta Temido disse que "será mantida toda a informação à população através da Direção-Geral da Saúde, enquanto os técnicos de todo o mundo tentam perceber mais sobre este vírus, nomeadamente a sua forma de transmissão".

"Neste momento, a posição é de acompanhamento das recomendações da Organização Mundial de Saúde", frisou.

Durante a deslocação da ministra a Albufeira, o coordenador regional do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, Nuni Manjua, entregou à titular da pasta da saúde um conjunto de atas onde constam com algumas das reivindicações daquelas profissionais.

Marta Temido, acompanhada pela secretária de Estado e Adjunta e da Saúde, Jamila Madeira, participou na homenagem, a título póstumo, ao médico Manuel dos Santos Serra, cujo nome foi atribuído o seu nome ao Centro de Saúde de Albufeira.

Manuel dos Santos Serra, médico, poeta, escritor e político, faleceu em 29 de novembro de 2018, aos 92 anos, tendo participado na criação do Serviço Nacional de Saúde, e considerado como um dos seus principais incentivadores do SNS na região do Algarve.

No concelho de Albufeira, foi responsável pela criação do Centro de Saúde, onde foi diretor durante 22 anos, entre 1975 e 1997, tendo dedicado toda a sua vida à defesa dos valores da medicina, cidadania, da liberdade e da democracia.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.