Depois de acompanhar o primeiro-ministro, António Costa, e o secretário de Estado do Desporto e Juventude (SEJD), João Paulo Rebelo, numa visita pela Mostra de Inovação no Desporto, o governante sublinhou que as autoridades quiseram dar as "melhores condições" aos atletas para cumprirem as ambições para os próximos Jogos Olímpicos e Paralímpicos.

"Estamos a menos de 900 dias do início dos Jogos. Alocámos aqui mais meios, com aumento significativo para o programa de preparação olímpico e paralímpico: aumentos para os atletas, mas também com um olhar atento para os treinadores", afirmou, sem deixar de frisar: "Sabemos bem que este desafio que vos move é absolutamente complexo".

Os programas hoje apresentados preveem 18,5 milhões de euros para a preparação olímpica, mais dois milhões do que no Rio2016, e 6,9 para os paralímpicos, ou seja, um aumento de 3,1 relativamente às últimas olimpíadas.

Com a tónica colocada no papel de inclusão do desporto, Tiago Brandão Rodrigues fez ainda questão de vincar a importância do desporto escolar no desenvolvimento do país.

"Procurámos entre todos dotar as nossas escolas dos saberes, meios e experiencias que são necessárias para uma verdadeira cultura desportiva, aumentando estilos de vida saudáveis. Temos também de conseguir atrair mais talento", explicou, relembrando ainda a organização em 2018 dos Jogos Universitários.

Com agradecimentos aos movimentos olímpico e paralímpico, que recordou ter vivido de perto em diversas edições, como Barcelona1992, Londres2012 ou Rio2016, o ministro deixou ainda uma palavra de esperança para os resultados no próximo ciclo olímpico.

"Sabemos também que o desporto é acima de tudo um lugar de superação. Sabemos que a vossa missão é serem ainda maiores do que nós pensávamos que eram", concluiu.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.