O administrador de Nhamatanda, o mais afetado e que se situa na província de Sofala, Boavida Manuel, disse ao Notícias que as autoridades locais mobilizaram sete canoas e um barco a motor, para assegurar a circulação de pessoas e bens nas zonas cercadas pela água.

Boavida Manuel declarou que as inundações foram agravadas pela enchente do rio Metuchira, que deixou submersa uma ponte precária que liga as duas margens deste curso de água.

As autoridades de Nhamatanda reativaram 18 comités locais de gestão de riscos, que estão devidamente equipados com materiais para busca, salvação e acomodação.

As províncias de Sofala e de Manica, também no centro de Moçambique, registam desde domingo chuvas torrenciais, típicas da época chuvosa, que no país começa no último trimestre de cada ano e termina no primeiro do ano seguinte.

Para as próximas 24 horas, o Instituto Nacional de Meteorologia de Moçambique (INAM) prevê a queda de chuvas que poderão atingir 75 mililitros na província de Sofala, com rajadas de vento de 60 km por hora.

Esta semana, a Direção Nacional de Gestão de Recursos Hídricos alertou para a ocorrência de enchentes em seis bacias hidrográficas nas regiões centro e norte do país.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.