Segundo a chefe de departamento e ponto focal da Convenção Internacional sobre o Comércio das Espécies da Fauna e Flora Selvagem Ameaçadas de Extinção (CITES), Albertina Matias, os dados são referentes ao primeiro inventário nacional sobre o marfim nos últimos cinco anos.

A responsável avançou que o estudo identificou a morte natural de seis elefantes entre 2012-2014, outros 11 em 2015, e 30 no ano passado.

O inventário revelou ainda a morte de seis jovens elefantes por causas por identificar.

Nesse período, indicou Albertina Matias, citada hoje pela agência noticiosa angolana, Angop, foram detidos na província do Cuando Cubango, sudeste de Angola, 13 caçadores furtivos angolanos, e em Luanda, capital do país, três cidadãos chineses foram igualmente detidos, além de outros quatro indivíduos nacionais.

Para se aferir a proveniência dos elefantes mortos foram retiradas amostras para a realização do estudo de DNA, informou ainda Albertina Matias.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.