Licenciado em Filologia Clássica, docente durante vários anos, Fernando Campos estreou-se tarde no romance, aos 62 anos, precisamente com "A Casa do Pó", em 1986, que continua a ser uma das obras mais conhecidas do autor, com mais de uma dezena de edições.

Depois deste romance, que lhe tomou mais de uma década de pesquisa e escrita, Fernando Campos publicou mais de uma dezena de obras, entre as quais "O homem da máquina de escrever", "O pesadelo de dEUS", "Psciché", "A esmeralda partida", "A sala das perguntas", sobre Damião de Góis, e "O cavaleiro da águia".

Em 2011 publicou "A rocha branca", biografia romanceada da poetisa Safo, e, um ano depois, "Ravengar", o último romance, pela Alfaguara, a editora pela qual republicou várias obras, de forma cronológica.

"Para cada um dos seus romances históricos, Fernando Campos faz uma cuidada e meticulosa pesquisa para poder recriar ao pormenor tudo o que se passou na época ou acontecimentos que retrata. Só recorre à imaginação quando há dados que não são conhecidos", lê-se na biografia disponível na Infopédia.

Filho do pintor Alberto da Silva Campos, Fernando Campos deixa ainda monografias e obras didáticas e uma colaboração regular com o Jornal de Letras Artes e Ideias.

Tem obra traduzida para alemão, francês e italiano.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.