Segundo a fonte, a arguida terá ainda de abandonar a habitação, situada em Vila Frescaínha S. Martinho, concelho de Barcelos.

Fica igualmente proibida de frequentar aquela freguesia.

A mulher, de 36 anos, foi detida na quarta-feira pela Polícia Judiciária (PJ), depois de na véspera ter alegadamente ateado fogo à sua habitação.

Segundo a PJ, a mulher agiu por motivos passionais e num quadro de violência doméstica.

O incêndio provocou a “destruição parcial” do imóvel.

“Não fosse o rápido alerta por populares e a pronta intervenção dos bombeiros e o incêndio teria consumido todo o edificado”, sublinha a PJ, em comunicado.

Uma das filhas da mulher teve de receber tratamento hospitalar, por inalação de fumos.

As quatro crianças ficam, entretanto, ao cuidado do pai, tendo já sido aberto um processo de promoção e proteção de menores, que decidirá sobre o seu futuro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.