Três dias depois de o jornal 'The New York Times' ter revelado que Asia Argento pagou 380 mil dólares (cerca de 333 mil euros) ao jovem ator para esconder uma situação de agressão sexual, Jimmy Bennett decidiu pronunciar-se sobre o caso. “Não fiz nenhuma declaração nos últimos dias e horas, porque tinha vergonha e medo de fazer parte da narrativa pública”, disse o ator e cantor num comunicado enviado às redações norte-americanas.

Comunicado de Jimmy Bennett publicado pelo The New York Times

“Não falei inicialmente sobre a minha história porque queria geri-la de forma privada com a pessoa que me fez mal”, explica.

Jimmy Bennett refere-se ao facto de os episódios de agressão sexual contra ele terem ocorrido há cinco anos, quando tinha 17 anos e Argento 37.

“Eu era menor de idade quando tudo aconteceu e procurei que fosse feita justiça de uma maneira que me fizesse sentido na altura, uma vez que não estava pronto para lidar com a passagem para o espaço público das ramificações da minha história”, continua.

“O meu trauma veio ao de cima de novo quando ela própria [Asia Argento] se apresentou como vítima”, continua Bennett. As acusações que levaram ao acordo só foram feitas depois de a atriz revelar ter sido vítima de abuso por parte do produtor de cinema Harvey Weinstein, em 2017.

Ainda assim, o jovem ator e cantor sublinha que, para ele, as mulheres e os homens que “falaram em público sobre as suas experiências, durante o movimento #MeToo”, são pessoas “corajosas” e reconhece a força “de cada uma delas para tomar essa atitude”.

No final do comunicado, Bennett afirma que, embora quisesse “deixar para trás este acontecimento”, decidiu não continuar mais “em silêncio”.

A nota do ator surge na sequência de uma série de acontecimentos iniciados pela notícia do jornal norte-americano.

Depois da publicação, no domingo, do artigo no 'The New York Times', Asia Argento negou, na terça-feira, que tenha tido qualquer envolvimento sexual com Jimmy Bennett.

Segundo a atriz, houve de facto um acordo que incluiu o pagamento de centenas de milhares de dólares, mas este serviu para dar um apoio financeiro ao jovem e para evitar que o ator falasse mal dela e do seu namorado da altura, o chef Anthony Bourdain, que faleceu em junho deste ano.

O 'The New York Times' mantém a confiança “no rigor" da matéria publicada, uma vez que o trabalho foi feito com base em “documentos verificados e múltiplas fontes”.

Já na quarta-feira, o TMZ, site dedicado à publicação de notícias sobre celebridades, divulgou uma fotografia onde aparecem os dois atores deitados numa cama. A fotografia faz parte dos documentos que o 'The New York Times' tem em sua posse.

Juntamente com a fotografia, o TMZ divulgou ainda uma série de mensagens que, afirma a publicação, foram trocadas entre Asia Argento e um amigo ou uma amiga.

Na segunda-feira, a polícia de Los Angeles disse estar a acompanhar o caso, tendo já contactado o jovem ator e os seus representantes, para verificar se se trata de facto de uma situação de crime. No Estado da Califórnia, a idade de consentimento para relações sexuais é de 18 anos. No início da semana, o advogado de Bennett ainda não tinha respondido às perguntas das autoridades.

Asia Argento é uma atriz e realizadora italiana que está entre as dezenas de mulheres que denunciaram comportamentos sexuais abusivos por parte do produtor norte-americano Harvey Weinstein. Argento acabou por tornar-se num dos rostos do movimento #MeToo (#EuTambém, na tradução em português).

Jimmy Bennett contracenou com a atriz em “The Heart Is Deceitful Above All Things”, realizado por ela em 2004, no qual o ator interpretava o filho da realizadora.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.