Segundo o Governo turco, a equipa de inspeção — constituída por funcionários da Ucrânia, Rússia, Turquia e das Nações Unidas – terminou a revisão a bordo do ‘Razoni’, que está ancorado na costa de Istambul, no Mar Negro, perto da foz do Bósforo.

O navio, que, de acordo com informações das Nações Unidas, transporta 26.527 toneladas de milho, partiu na segunda-feira do porto de Odessa, na costa ucraniana do Mar Negro.

Imagens divulgadas hoje na rede social Twitter pelo Ministério da Defesa turco mostram um inspetor a mexer num recipiente aberto cheio de milho.

A Ucrânia e a Rússia assinaram, em 22 de julho, acordos com a Turquia e a ONU para desbloquear a exportação de toneladas de cereais bloqueados nos portos do mar Negro.

Numa cerimónia realizada na cidade turca de Istambul, sob a mediação de Ancara e da ONU, foram assinados dois documentos similares mas em separado, já que a Ucrânia recusou assinar o mesmo papel que a Rússia. O protocolo irá vigorar durante quatro meses, sendo, no entanto, renovável.

O acordo de Istambul inclui dois documentos: um sobre as exportações de cereais da Ucrânia e outro sobre a exportação de produtos agrícolas e fertilizantes russos.

Os documentos determinaram a criação do centro de controlo em Istambul, dirigido por representantes das partes envolvidas: ucranianos, russos, turcos e representantes da ONU, que deverão estabelecer o cronograma de rotação de navios.

O acordo implica que passe a ser feita uma inspeção dos navios que transportam os cereais para garantir que não levam armas para a Ucrânia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.