“A Comissão do [presidente] Juncker comprometeu-se a acabar com a desinformação e com as notícias falsas e este caso não é exceção”, disse hoje o porta-voz do executivo comunitário, Margaritis Schinas.

Em causa está uma campanha que o governo húngaro que está a promover, na qual reproduz uma fotografia do presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e do primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, afirmando que a população daquele país “tem o direito a saber o que Bruxelas está a preparar” em matéria de migrações.

“Eles [Comissão Europeia] querem introduzir uma quota de migrantes, enfraquecer a proteção das fronteiras dos Estados-membros e facilitar a imigração atribuindo vistos”, está escrito na imagem que está a ser divulgada pelo executivo húngaro nas redes sociais.

Em reação a estas imagens, Margaritis Schinas vincou que “os húngaros merecem factos e não ficção”.

“É chocante que uma teoria de conspiração tão ridícula tenha atingido o expoente máximo”, lamentou o responsável, falando na conferência de imprensa diária da Comissão Europeia, em Bruxelas.

Vincando que “não existem ‘eles’, mas sim uma UE, com a Hungria sentada à mesa”, Margaritis Schinas referiu que a União “não prejudica a proteção das fronteiras nacionais”.

Isto porque “não existem planos para ‘vistos humanitários'” para migrantes, sendo que são os Estados-membros que “decidem até que ponto recebem migrantes legais”, adiantou.

O governo húngaro começou a reproduzir esta imagem na segunda-feira à noite, no âmbito de uma “campanha de informação” sobre as migrações.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.