O primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe, Jorge Bom Jesus, concordou, na semana passada, indigitar como presidente do executivo da Região Autónoma do Príncipe Filipe Nascimento, que foi eleito, em novembro do ano passado, como líder da União para a Mudança e Progresso do Príncipe (UMPP).

Na cerimónia de hoje, além da investidura do sucessor de José Cardoso Cassandra, também tomarão posse os secretários regionais que compõem o novo governo.

Filipe Nascimento é um jovem quadro natural de Príncipe, de ascendência cabo-verdiana e formado em Direito em Portugal, que durante vários anos trabalhou na Câmara Municipal de Oeiras.

O presidente cessante do Governo Regional despediu-se publicamente dos principenses, após mais de uma década no cargo, com a convicção de deixar uma ilha mais confiante, esperançosa e aberta ao mundo.

“Temos, hoje, sem dúvidas nenhumas, passados estes anos, um Príncipe mais confiante e menos titubeante, mais esperançoso e menos cético, mais aberto ao mundo e menos escondido, mais assertivo e menos contestatário e, sobretudo, que sabe, perfeitamente, onde está e para onde quer ir. Este é o maior contributo que demos à região e ao país, como entidade insular e arquipelágica, nestes últimos anos”, escreveu José Cassandra na rede social Facebook.

Na hora da saída, José Cassandra manifestou-se honrado por ter liderado os destinos da ilha, atribuindo os sucessos da sua governação a um esforço coletivo.

Como exemplos, apontou a captação de investimento direto estrangeiro, a apresentação da candidatura e integração do Príncipe como Reserva da Biosfera da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) ou a realização de grandes eventos como a comemoração do centenário da comprovação da Teoria da Relatividade Geral de Einstein.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.