Segundo o gabinete do responsável do condado, o número de pessoas desaparecidas no final de domingo era de 993, menos 283 pessoas do que as 1.276 que tinham sido reportadas no sábado.

As autoridades não explicaram o motivo da redução do número de desaparecidos, mas nos últimos dias têm insistido em que as estimativas poderia variar à medida que os agentes recolhessem e cruzassem a informação.

"É uma lista dinâmica. Oscilará para cima e para baixo cada dia", disse aos jornalistas, o responsável do condado, Kory Honea, citado pelo diário Los Angeles Times.

Honea admitiu que na sexta-feira passada que algumas das pessoas podiam constar duas vezes da lista de desaparecidos, enquanto outros podiam estar a salvo e sem saber que estavam a ser procurados.

O incêndio naquele condado, entretanto batizado de "Camp Fire", começou a 08 de novembro, tendo destruído por completo a cidade de Paradise, de 27 mil habitantes, e queimado mais de 13 mil edifícios.

O fogo destruiu parcialmente as localidades vizinhas de Magalia e Concow.

Até ao final do dia de domingo, os bombeiros tinham conseguido conter as chamas em 65% da área.

As chamas daquele que é o incêndio mais mortífero da história da Califórnia desde que existem registos consumiram já mais de 570 quilómetros quadrados de área.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.