As fortes chuvas registadas na terça-feira naquela cidade serrana, no estado do Rio de Janeiro, causaram ainda quase um milhar de desalojados e um número indeterminado de desaparecidos, embora a polícia indique a existência de cerca de 200 pessoas cujo paradeiro é desconhecido.

As operações de busca e salvamento envolvem mais de 500 bombeiros, que conseguiram já resgatar 24 pessoas com vida, mas os trabalhos são dificultados pelas más condições no terreno e pelo risco de mais deslizamentos de terra na região.

Segundo as autoridades de Defesa, 967 pessoas foram retiradas das suas casas.

Na sexta-feira, a agência Efe relatava que as casas funerárias em Petrópolis estavam lotadas, muitas empresas estavam ainda encerradas e as estradas permaneciam intransitáveis.

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, sobrevoou a região de Petrópolis na sexta-feira, comparando a zona atingida a um “cenário de guerra”.

As mais recentes previsões meteorológicas indicam a possibilidade de chuva com intensidade “moderada a forte” em na região de Petrópolis.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.