Avança o Público esta sexta-feira, 28 de fevereiro, que uma burla fez com que a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) perdesse dois milhões de euros devido a um "volume anómalo de apostas" registado no Café Casal, localizado em Casal Silveira, Famões, Odivelas.

Durante quatro dias, entre 9 e 12 de fevereiro, foram efetuadas apostas no valor de dois milhões de euros no estabelecimento mediador, o Café Casal, que foi vendido a 6 de fevereiro e se encontra fechado ao público desde dia 10.

Esta ação levou a que o "Departamento de Jogos da Santa Casa acionasse de imediato todos os procedimentos e mecanismos necessários, incluindo a suspensão cautelar do terminal em causa", confirmou a SCML, que já reportou o caso às autoridades, ao jornal Público.

Os antigos proprietários (com 79 e 81 anos) contam que exploraram o café durante mais de 30 e que no ano passado decidiram colocar à venda as quotas da sociedade. Passados seis meses, em fevereiro, arranjaram finalmente um comprador. "Vieram três homens ver o café e disseram que pagavam logo no ato da escritura e eu achei que estava na altura de fazer negócio", contou ao diário o anterior co-proprietário.

Este explicou ainda que ficou confuso porque no dia da escritura quem lhe pagou a dinheiro não foi o mesmo homem que colocou a sua assinatura no papel iria assumir a gestão do café. Além disso, conta ainda outro caso estranho: o banco onde estava a conta do estabelecimento entrou em contato consigo porque alguém foi levantar os 130 euros os que tinha na conta para pagar a eletricidade.

Sobre as apostas no valor de 2 milhões de euros, indicou que o seu advogado comunicou à Santa Casa que tinham cedido as quotas e que a responsabilidade dos jogos tinha passado para o novo gerente, no dia 10 de fevereiro.

Tal é particularmente relevante porque o mediador é o responsável pela entrega do dinheiro dos jogos à Santa Casa após o registo das apostas, tendo de entregar o que recebeu na semana seguinte ao registo. Assim, a Santa Casa deveria ter recebido os dois milhões de euros a 18 de fevereiro.

O antigo proprietário adiantou ao Público que o valor é demasiado alto para o seu café visto que "entregava todas as semanas à Santa Casa" pouco mais de dois mil euros.

O paradeiro do novo proprietário é desconhecido e sobre a sua identidade sabe-se apenas que se chama Hélder Costa Andrade, e que, segundo os documentos que apresentou na escritura, é natural de Vila Nova de Monsarros, Concelho de Anadia.

Ao jornal a Santa Casa não confirmou se as apostas tiveram prémio atribuído, mas sendo o caso já foram levantados.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.