Ana Carla Viveiros, representante da empresa Pescasim – Comércio e Indústria de Pescas, Lda, de capitais espanhóis, o armador, considerou que não foram disponibilizados estes meios legais ao mestre, contrariamente ao que determina a legislação europeia.

A embarcação, registada nos Açores, foi “cautelarmente apreendida” na Irlanda, sexta-feira, confirmou à Lusa sexta-feira fonte do Ministério do Mar português.

“Esta embarcação foi cautelarmente apreendida pela inspeção de pescas irlandesa e reencaminhada para o porto”, esclareceu o ministério, sem precisar qual porto.

A Lusa questionou a tutela, depois de as Forças de Defesa da Irlanda revelarem sexta-feira, na sua página oficial, de que uma embarcação de pesca registada em Portugal tinha sido sinalizada a aproximadamente 200 milhas náuticas a sul da Fastnet Rock.

A representante do armador, que referiu hoje que a embarcação pescava a par de outra, também propriedade do mesmo armador, espadarte, foi detida “porque dois dos cerca de 30 balões que acompanham os aparelhos de pescas não estavam identificados”.

Ana Viveiros referiu que o tribunal irlandês exigiu uma caução de 153 mil euros para que o mestre da embarcação possa aguardar julgamento, que ocorrerá dentro de 40 dias, em liberdade.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.