"É um alimento muito importante. Agora Fidel manda-me comprimidos de moringa", disse Evo Morales, presidente da Bolívia, antes de inaugurar uma feira gratuita de saúde no trópico de Cochabamba que tem como protagonistas os médicos cubanos que trabalham na Bolívia.

O governante boliviano, que está a recuperar de uma cirurgia ao joelho esquerdo, foi o primeiro a receber a atenção dos médicos da ilha, que aproveitaram esta feira para homenagear o nonagésimo aniversário de Fide Castrol, comemorado no final da semana passada.

Foi Fidel Castro que colocou a moringa na moda em Cuba, apelidando-a de "árvore milagrosa". Assegurou inclusive que iria  estimular a sua plantação em massa para enfrentar a desnutrição, dadas as suas excelentes propriedades alimentícias, que segundo o líder cubano, se equiparam à carne, ao ovo e ao leite.

Morales visitou na semana passa o líder cubano em Havana, como parte da viagem que fez para participar na posse do presidente dominicano, Danilo Medina. "Agora Fidel já não me fala tanto sobre educação e saúde (...) está preocupado com a alimentação do mundo", comentou o presidente boliviano. Em visitas anteriores, Morales e Fidel já tinham dividido a dita planta.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.