Tendo dia 17 como data para o estabelecimento da nova política, Jeff D'Onofrio, CEO do Tumblr, defende que o prazo dá aos utilizadores que hospedam conteúdo explícito indesejado a oportunidade de levar as suas imagens para outro lugar.

"Não há escassez de sites na internet a apresentar conteúdo adulto", disse D'Onofrio num post no blog, pedindo para "deixar isso para esses sites" e para "concentrar os nossos esforços na criação de um ambiente o mais acolhedor possível para a nossa comunidade".

A decisão de retirar pornografia do Tumblr foi tomada depois de uma série de "considerações sérias" em relação aos padrões da comunidade de blogs, de acordo com D'Onofrio.

"Os posts que contêm conteúdo adulto deixarão de ser permitidos no Tumblr, e vamos atualizar as nossas diretrizes da comunidade para refletir essa mudança de política", afirmou.

O Tumblr prepara-se para entrar numa zona cinzenta onde o Facebook já se encontra. Por um lado os seus novos padrões de comunidade indicam que os utilizadores não podem fazer o upload quer de "genitais humanos reais ou mamilos femininos", quer de qualquer obra "tão fotorrealista" que pode ser confundida uma imagem genuína. Por outro, o mesmo site diz que a nudez poderá ser permitida em casos que sejam "artísticos, educacionais, noticiosos ou políticos".

D'Onofrio garante que o Tumblr se esforçará para equilibrar a possibilidade de conversar sobre assuntos como sexo e relacionamentos com a proibição de pornografia, e observou que é provável que haja algumas falhas.

As consequências já se começam a manifestar. De acordo com o website The Verge, vários utilizadores já viram os seus posts aparentemente inócuos a serem considerados "explícitos" pelo algoritmo, desde fotografias de vasos com flores até ilustrações infantis. A sinalização de conteúdos não traz consequências imediatas para os utilizadores, e os utilizadores podem recorrer, mas teme-se que o risco possa levar a comunidade a afastar-se da plataforma.

Para além disso, têm sido várias as reações de que o corte com a pornografia representa um ataque ao "espaço seguro" que o Tumblr tinha para algumas comunidades marginalizadas, desde grupos pertencentes ao universo LGBT+ a pessoas com fetiches específicos ou até com dificuldades em encarar o sexo e para as quais a plataforma representava uma via comunicativa mais fácil.

Ao Guardian, Ysabel Gerrard, professora da Universidade de Sheffield, disse haver "tantas pessoas diferentes impactadas por esta medida de formas tão diferentes", considerando que representa "um dedo do meio a mulheres, a trabalhadores/as sexuais e à comunidade queer" porque no fundo diz "não vos queremos aqui".

Sendo ilegal, a pornografia infantil já ia contra as diretrizes do Tumblr. "Postar qualquer coisa que seja prejudicial a menores, incluindo pornografia infantil, é abominável e não tem lugar na nossa comunidade", afirmou D'Onofrio. "Sempre tivemos e sempre teremos uma política de tolerância zero para esse tipo de conteúdo".

A aplicação do Tumblr para dispositivos da Apple foi excluída da App Store no mês passado depois de conteúdos de abuso sexual infantil terem sido encontrados na plataforma.

O Tumblr usa um banco de dados para filtrar o conteúdo que está a ser publicado no site, mas algum material pornográfico infantil que ainda não tinha sido adicionado à base de dados acabou por entrar na plataforma, disse a empresa.

O conteúdo ofensivo foi removido assim que foi descoberto numa auditoria de rotina, de acordo com o Tumblr.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.