Estas sanções, que têm o aval da ONU, afetam o setor energético, financeiro e de transporte marítimo da Coreia do Norte, destacou a Casa Branca.

"Estas medidas não afetam o povo norte-coreano, e sim o governo", assinalou o presidente norte-americano. Obama considerou a decisão como uma resposta apropriada ao teste nuclear - o quarto desde 2006 - e aos lançamentos de mísseis realizados pela Coreia do Norte nos dias 6 de janeiro e 7 de fevereiro, que segundo Washington constituem uma violação das resoluções da ONU.

No início de março, o Conselho de Segurança das Nações Unidas impôs uma nova série de sanções contra Pyongyang devido aos últimos testes nucleares e de míssil balístico. Esta resolução foi apresentada pelos Estados Unidos e adotada por unanimidade, incluindo a China, aliada do regime norte-coreano.

Leia também: Coreia do Norte lança novos mísseis e congela ativos de Seul

Obama considerou a decisão como uma resposta "firme, unida e apropriada" ao teste nuclear e aos lançamentos dos mísseis, que violaram as resoluções da ONU.

Nesta quarta-feira, o estudante americano Otto Warmbier foi condenado a 15 anos de trabalhos forçados na Coreia do Norte por crimes contra o estado, por ter roubado material de propaganda. Segundo a imprensa oficial norte-coreana, o estudante confessou ter roubado uma peça de propaganda política numa área reservada aos empregados do hotel de Pyongyang, onde estava hospedado durante uma excursão.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.