Entre os migrantes socorridos figuram cidadãos da Líbia, Sudão do Sul, Egito, Tunísia e Síria e sírios.

Nas quatro operações realizadas desde quinta-feira, o Ocean Viking resgatou 203 pessoas, das quais 67 menores.

Já hoje, este navio socorreu 71 migrantes que se encontravam em perigo numa embarcação de madeira, extremamente sobrecarregado, na área de busca e resgate de Malta.

Os ocupantes fugiam da Líbia, de onde tinham saído há três dias sem alimentos, nem água, e estavam exaustos no momento do resgate.

Os três resgates anteriores, ocorridos na costa da Líbia, envolveram três barcos de madeira e um de fibra de vidro que ficaram sem combustível.

A 01 de maio, o Ocean Viking resgatou 236 migrantes no mar da Sicília, tendo posteriormente passado várias semanas em doca seca, em Nápoles, para reparação.

As Nações Unidas solicitaram recentemente à Líbia e à União Europeia para reformarem as respetivas operações de resgate e salvamento no Mar Mediterrâneo, alegando que as atuais práticas privam os migrantes dos seus direitos e dignidade.

Segundo dados da Organização Internacional para as Migrações, desde o início do ano 866 migrantes perderam a vida no Mediterrâneo ao tentar chegar à Europa.

Por sua vez, a SOS Mediterrâneo afirma ter resgatado mais de 30 mil pessoas desde fevereiro de 2016, primeiro com o Aquarius, depois com o Ocean Viking.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.