Esta posição sobre o Orçamento do Estado para 2020 foi transmitida por José Luís Carneiro no programa da TSF "Almoços Grátis", no qual substituiu hoje o presidente do PS, Carlos César.

Perante a perspetiva de haver uma convergência política entre o PSD, Bloco de Esquerda e PC para reduzir o IVA da eletricidade e do gás no âmbito do Orçamento do próximo ano, José Luís Carneiro demarcou-se dessa hipotética proposta e advertiu que "não pode ser o PS a dinamitar o programa do Governo".

O secretário-geral adjunto citou depois dados do Ministério das Finanças, falando então numa "perda expectável de cerca de mil milhões de euros de receita no Orçamento do Estado para 2020".

Caso essa perda de receita se registasse, segundo o dirigente socialista, tal colocaria em causa aquilo que é um outro objetivo da política económica para 2020: A qualificação dos serviços públicos".

"Não podemos querer mais investimento na saúde, por exemplo, se estamos a retirar ao Orçamento do Estado mecanismos de financiamento", alegou o secretário-geral adjunto do PS.

"É curioso que o mesmo partido que diz que tem propostas para reduzir a despesa é o partido que propõe o reforço de investimento na qualificação de serviços públicos fundamentais", disse ainda José Luís Carneiro, aqui numa crítica ao PSD.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.