O barco “Wild Eyes”, com que a jovem norte-americana Abby Sunderland tentou ser a mais jovem de sempre a dar a volta ao mundo a solo e sem apoio foi encontrado perto da ilha Kangaroo, na costa sul da Austrália. A embarcação não era vista desde 2010, quando foi abandonada pela californiana, no meio de uma tempestade.

O objetivo de Sunderland era ser a mais jovem de sempre a circum-navegar o globo sozinha — e sem apoio. Partiu de Marina del Rey, na Califórnia, Estados Unidos, a 23 de janeiro de 2010, meses depois de o irmão, com 18 anos, ter feito o mesmo. Porém, logo dez dias depois teve de recomeçar, já no México, devido a problemas elétricos e consumos mais elevados que o esperado na embarcação.

Lentamente a ser reclamado pela vida marinha, o veleiro amarelo de doze metros foi avistado por um avião da pesca do atum na segunda-feira, 31 de dezembro. A jovem, cujo paradeiro e estado de saúde chegou a ser desconhecido durante dois dias, disse que as imagens da embarcação a deixaram “muito emocionada”.

Agora com 25 anos, Sunderland diz, num comunicado citado pelo britânico ‘The Guardian’, que as imagens lhe trouxeram “muitas memórias — boas e menos boas — mas foi bom voltar a vê-lo passado tanto tempo. Parece um bocadinho assustador, mas já seria de esperar, depois de tanto tempo”.

A velejadora norte-americana foi resgatada na manhã de 14 de junho quando navegava à deriva no oceano Índico, sendo depois levada para a ilha francesa de Reunião. Abby Sunderland foi recolhida por um navio de pesca francês que estava a atravessar o Índico.

A jovem emitiu sinais de alerta de uma zona isolada do oceano Índico, a três mil quilómetros a sudeste da ilha de Reunião, tendo acionado manualmente as balizas para informar que corria perigo, revelaram na altura as autoridades. Abby foi depois localizada por um Airbus da companhia aérea Quantas procedente de Perth.

"Era apenas um ponto no oceano (...) Foi muito difícil vê-la", explicou um porta-voz da agência australiana de emergência, Chris Lawson, citado pela Lusa em 2010.

"O barco está a flutuar, mas sem mastro, o que indica que foi atingido por uma forte onda. Ela já informou que está bem, tem o que beber e comer, e o seu aquecedor está a funcionar", adiantava.

A viagem de Abby foi criticada pela imprensa norte-americana, que considerava o itinerário muito arriscado, em particular a travessia do Oceano Índico em pleno inverno. Por sua vez, Abby criticava a imprensa, argumentando que a sua idade não tem qualquer influência nas tempestades oceânicas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.