A onda foi registada na terça-feira no Oceano Antártico, conhecido pela violência das suas tempestades, perto de Campbell Island, 700 km a sul da Nova Zelândia, anunciou a MetOcean Solutions, instituto de investigação de oceanografia.

De acordo com o oceanógrafo Tom Durrant, a onda, que foi medida durante uma forte tempestade com o uso de uma boia, bateu o recorde anterior no hemisfério sul, de 22,03 metros, registado em 2012.

"Pelo que sabemos, esta é a maior onda já registada no hemisfério sul", disse.

O Oceano Antártico, explicou o cientista, funciona como uma "casa de máquinas" que gera ondas que se propagam por todo o planeta.

"De facto, os surfistas da Califórnia podem preparar-se para que a energia desprendida por esta tempestade alcance as suas costas dentro de uma semana, mais ou menos", completou Durrant.

O cientista acredita que a tempestade que atingiu a região antes de seguir para o leste provavelmente provocou ondas superiores a 25 metros.

A boia da equipa de investigação, instalada em março para registaar as condições meteorológicas extremas do Oceano Antártico, não estava, contudo, no local correto para medir estas ondas, explicou Durrant.

Além disso, para economizar as baterias, o aparelho só regista os dados em intervalos de 20 minutos a cada três horas.

"É muito provável que tenham acontecido ondas maiores quando não estava a ser gravado", disse.

A maior onda registrada no planeta foi provocada por um tsunami em 1958, em Lituya Bay, no Alasca, com 30,5 metros de altura, segundo a Smithsonian Magazine, publicação da instituição americana de investigação científica.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.