À chegada ao Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa, Zeinal Bava disse que “chegou o momento de, com serenidade, aqui no tribunal esclarecer tudo”.

“É isso que eu quero fazer”, acrescentou.

Zeinal Bava lembrou que tinha o direito de não falar, mas dispôs-se a deslocar-se de Londres para Lisboa “para esclarecer tudo” perante o juiz de instrução Ivo Rosa.

O antigo presidente da PT está acusado por corrupção passiva, branqueamento de capitais, falsificação de documento e fraude fiscal qualificada.

Para o Ministério Público, entre finais de 2007 e 2011, Zeinal Bava recebeu mais de 25 milhões de euros através de uma sociedade do Grupo Espírito Santo.

Para a acusação, o ex-primeiro-ministro José Sócrates, Zeinal Bava e Henrique Granadeiro, antigo gestor da PT, terão recebido dinheiro para atuarem no interesse do ex-presidente do BES Ricardo Salgado na PT.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.