José Sócrates (ex-primeiro-ministro): Acusado pela prática de crimes de corrupção passiva de titular de cargo político (3), branqueamento de capitais (16), falsificação de documento (9) e fraude fiscal qualificada (3)

Carlos Santos Silva (empresário): Acusado pela prática de crimes de corrupção passiva de titular de cargo político (1), corrupção ativa de titular de cargo político (1), branqueamento de capitais (17), falsificação de documento (10), fraude fiscal (1) e fraude fiscal qualificada (3).

Joaquim Barroca (ex-administrador do Grupo Lena): Acusado pela prática de crimes de corrupção ativa de titular de cargo político (1), corrupção ativa (1), branqueamento de capitais (7), falsificação de documento (3) e fraude fiscal qualificada (2).

Luis Ferreira da Silva Marques (funcionário da Infraestruturas de Portugal): Acusado pela prática de crimes de corrupção passiva (1) e branqueamento de capitais (1).

José Ribeiro dos Santos (funcionário da Infraestruturas de Portugal): Acusado pela prática de crimes de corrupção ativa (1) e branqueamento de capitais (1).

Ricardo Salgado (ex-presidente do BES): Acusado pela prática de crimes de corrupção ativa de titular de cargo político (1), corrupção ativa (2) branqueamento de capitais (9), abuso de confiança (3) falsificação de documento (3) e fraude fiscal qualificada (3).

Zeinal Bava (ex-presidente executivo da PT): Acusado pela prática de crimes de corrupção passiva (1), branqueamento de capitais (1), falsificação de documento (1) e fraude fiscal qualificada (2).

Henrique Granadeiro (ex-gestor da PT): Acusado pela prática de crimes de corrupção passiva (1), branqueamento de capitais (2), peculato (1), abuso de confiança (1) e fraude fiscal qualificada (3).

Armando Vara (ex-ministro e antigo administrador da CGD): Acusado pela prática de crimes de corrupção passiva de Titular de Cargo Político (1), branqueamento de capitais (2) e fraude fiscal qualificada (2).

Operação Marquês: A teia do Ministério Público contada em quatro capítulos
Operação Marquês: A teia do Ministério Público contada em quatro capítulos
Ver artigo

Bárbara Vara (filha de Armando Vara): Acusada pela prática de crimes de branqueamento de capitais (2).

Rui Horta e Costa (administrador não executivo dos CTT): Acusado pela prática de crimes de corrupção ativa de titular de cargo político (1), branqueamento de capitais (1) e fraude fiscal qualificada (2).

José Diogo Gaspar Ferreira (ex-diretor executivo do empreendimento Vale de Lobo): Acusado pela prática de crimes de corrupção ativa de titular de cargo político (1), branqueamento de capitais (2) e fraude fiscal qualificada (3).

José Paulo Pinto de Sousa (primo de José Sócrates): Acusado pela prática de crimes de branqueamento de capitais (2).

Helder Bataglia (empresário): Acusado pela prática de crimes de branqueamento de capitais (5), falsificação de documento (2), abuso de confiança (1) e fiscal qualificada (2).

Gonçalo Trindade Ferreira (advogado): Acusado pela prática de crimes de branqueamento de capitais (3) e falsificação de documento (1).

Inês Pontes do Rosário (mulher de Carlos Santos Silva): Acusada pela prática de crime de branqueamento de capitais (1).

 João Perna (ex-motorista de Sócrates): Acusado pela prática de crimes de branqueamento de capitais (1) e detenção de arma proibida (1).

 Sofia Fava (ex-mulher de Sócrates): Acusada pela prática de crimes de branqueamento de capitais (1) e falsificação de documento (1).

Rui Mão de Ferro (sócio administrador e gerente de diversas empresas): Acusado pela prática de crimes de branqueamento de capitais (1) e falsificação de documento (4).

Lena Engenharia e Construções, SA: Empresa acusada pela prática de crimes de corrupção ativa (2) branqueamento de capitais (3) e fraude fiscal qualificada (2).

Lena Engenharia e Construção SGPS: Empresa acusada pela prática de crimes de corrupção ativa (2) e branqueamento de capitais (1).

Lena SGPS: Empresa acusada pela prática de crimes de corrupção ativa (2) e branqueamento de capitais (1).

XLM-Sociedade de Estudos e Projetos Lda: Empresa acusada pela prática de crimes de branqueamento de capitais (3) e fraude fiscal qualificada (2).

RMF-Consulting, Gestão e Consultoria Estratégica, Lda: Empresa acusada pela prática de crime de branqueamento de capitais (1)

XMI – Management & Investmenst SA: Empresa acusada pela prática de crimes de corrupção ativa (1) e branqueamento de capitais (1).

Oceano Clube – Empreendimentos Turísticos do Algarve SA: Empresa acusada pela prática de crimes de fraude fiscal qualificada (3).

Vale do Lobo Resort Turístico de Luxo SA: Empresa acusada pela prática de crimes de fraude fiscal qualificada (3).

 Pepelan – Consultoria e Gestão SA: Empresa acusada pela prática de crimes de fraude fiscal qualificada (1) branqueamento de capitais (1).

*Nota: Os números entre parêntesis dizem respeito ao número de crimes de que cada pessoa ou empresa é acusada.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.