A ex-modelo, nascida na Eslovénia, e mãe de um dos filhos de Donald Trump, continua a viver no seu apartamento em Manhattan, mais de dois meses depois do marido ter sido empossado, a 20 de janeiro, como o 45º presidente dos Estados Unidos.

A primeira-dama já veio esclarecer que se muda para Washington com o filho Barron, de 11 anos, quando terminar o ano letivo, antes das férias de verão.

Nova Iorque espera gastar, em média, entre 127 mil a 146 mil dólares (entre 119 e 137 mil euros)  por dia com Polícia, e 4,5 milhões de dólares (4,2 milhões de euros) por ano com o Corpo de Bombeiros para proteger a primeira-dama e o seu filho enquanto estiverem a morar na Trump Tower, escreveu em fevereiro o chefe de polícia James O'Neill em carta aos membros locais do Congresso.

A Polícia gastou 24 milhões de dólares para proteger a família (cerca de 22,5 milhões de euros) desde o dia da eleição, a 8 de novembro de 2016, até o dia da posse, a 20 de janeiro de 2017, na véspera de o magnata imobiliário republicano se mudar para Washington, onde fica a Casa Branca, residência oficial do Presidente.

"Os contribuintes dos EUA estão a pagar uma quantidade exorbitante de dinheiro para proteger a primeira-dama na Trump Tower", diz a petição colocada no site change.org. "Essa despesa não traz resultados positivos para a nação e não deve continuar a ser financiada", acrescenta.

A petição, que começou há duas semanas, já foi assinada por 516.884 pessoas. O objetivo é conquistar um milhão de apoiantes.

Após a recolha de assinaturas, a petição será enviada para os senadores democratas Bernie Sanders e Elizabeth Warren.

O presidente não voltou a Nova Iorque desde que se mudou para Washington, mas já passou vários fins de semana na sua propriedade em Palm Beach, na Florida.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.