O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, acompanhou o chefe de Estado do Vaticano até à entrada do avião da TAP em que Francisco viajou com destino a Roma, através de uma passadeira vermelha, e despediram-se com um prolongado aperto de mãos.

Junto a essa passadeira vermelha, estavam o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, o primeiro-ministro, António Costa, e as respetivas mulheres, e também a filha do chefe do Governo, que o líder da Igreja Católica cumprimentou.

A delegação portuguesa presente nesta breve cerimónia incluiu também o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, o ministro Adjunto, Eduardo Cabrita, e o secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello.

Em representação da Igreja Católica, estiveram presentes, entre outros, o cardeal patriarca de Lisboa e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, Manuel Clemente, e o núncio apostólico em Portugal, Rino Passigato, e o bispo de Leiria-Fátima, António Marto.

Dentro da Base Aérea de Monte Real, o papa Francisco fez um percurso de cerca de cinco minutos até ao edifício da Torre de Controlo, num carro fechado, mas de janela aberta, e foi saudado por centenas de pessoas, militares de várias unidades da Força Aérea e seus familiares.

Neste segundo e último dia de visita apostólica ao Santuário de Fátima, o papa presidiu à cerimónia de canonização dos pastorinhos Jacinta e Francisco Marto, crianças que, com a sua prima, Lúcia, afirmaram ter visto Nossa Senhora, na Cova da Iria, em 1917.

Durante esta visita, por ocasião do centenário das "aparições", iniciada na sexta-feira à tarde, Jorge Bergoglio teve encontros com o Presidente da República e com o primeiro-ministro, participou na bênção das velas e almoçou com os bispos portugueses.

Nas intervenções que fez em Fátima, Francisco deixou apelos à paz e à concórdia e lembrou os excluídos da sociedade e todos os que sofrem em consequência dos conflitos em vários países do mundo.

Cordão humano recebeu Francisco à entrada de Monte Real

Um verdadeiro cordão humano recebeu o papa Francisco hoje à entrada da Base Aérea de Monte Real, nos arredores de Leiria, de onde vai descolar de regresso a Roma.

Nos rostos das pessoas, muitas delas acenando lenços brancos, eram visíveis lágrimas de emoção à passagem das viatura que tranportava Francisco, que seguia com vidro aberto. O pontífice ia acenando aos populares, que gritavam "Viva o papa!".

Cristina Vasconcelos, antes de o automóvel parar à entrada da base aérea, conseguiu quebraram a segurança e entregar uma fralda ao papa Francisco, que pertencia à filha de um familiar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.