A marioneta, com mais de três metros de altura, saiu a 27 de julho de Gaziantep, na fronteira entre a Turquia e a Síria, para viajar pela Europa em busca da sua mãe, até chegar a Manchester, no Reino Unido. Esta sexta-feira marcou presença na Praça de São Pedro, no Vaticano.

De acordo com o Vatican News, a Diocese de Roma, apoiada pela Secção Migrantes e Refugiados do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, aceitou o convite dos organizadores do The Walk Festival, projeto destinado a consciencializar sobre a realidade dos menores refugiados.

Amal — que em árabe significa "esperança" — esteve com o Papa Francisco esta manhã. Com a marioneta está uma equipa de 10 profissionais, dois dos quais têm um passado enquanto refugiados e fizeram uma viagem da Síria para o Reino Unido.

"Nada mais do que a arte consegue desmaterializar as fronteiras e despertar empatia", explicam Roberto e Ludovica Tinghi, produtores italianos de The Walk. "A sua carga vital é inestimável. Como não acolher de braços abertos todas as Amal do mundo?", questionaram.

No encontro, o Papa dirigiu uma saudação às crianças que participaram na Marcha para o Acolhimento, intitulada "Apri", organizada devido ao futuro Dia Mundial do Migrante e do Refugiado, assinalado a 26 de setembro, e que viram também Amal.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.