"Confirmo que a tomografia computadorizada descartou pneumonia, mas mostrou uma inflamação pulmonar que estava a causar algumas dificuldades respiratórias. Para maior eficácia da terapia, foi introduzida uma agulha com cânula para infusão de terapia antibiótica por via endovenosa", explicou esta manhã o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni, citado pelo Vatican News.

Neste momento, "as condições do Papa são boas e estáveis, sem febre e a sua situação respiratória apresenta nítidas melhorias".

Contudo, "para facilitar a recuperação do Papa, alguns compromissos importantes programados para estes dias foram adiados. Outros, de natureza institucional ou mais fáceis de realizar devido às atuais condições de saúde, foram mantidos", foi ainda referido.

No dia de ontem, Francisco assumiu que tem um “problema de inflamação pulmonar” que o impedia de aparecer na Praça de São Pedro para rezar com os fiéis, porque teria de resguardar-se na sua residência, a Casa Santa Marta.

No sábado, o Papa Francisco realizou exames no hospital, após ter contraído uma gripe que o obrigou a cancelar a sua agenda, mas os resultados descartaram qualquer problema respiratório, tinha dito o Vaticano.

Francisco, que removeu parte de um pulmão quando era jovem, foi submetido a uma tomografia axial computadorizada, (TAC), referiu o porta-voz do Vaticano, Matteo Bruni, citado pela Associated Press.

O exame realizado no hospital Gemelli, em Roma, onde Francisco foi tratado de uma infeção respiratória no início deste ano, foi efetuado para descartar possíveis problemas respiratórios e deu negativo, disse Bruni citado num comunicado.

Francisco deverá viajar para o Dubai, na sexta-feira, para participar na conferência COP28 sobre as mudanças climáticas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.